17 de abril de 2011

Virada Cultural!

Veteranos do rock, MPB e samba se destacam na Virada Cultural

Paulinho da Viola, Erasmo Carlos e RPM tocaram em SP neste domingo (17).
No sábado (16), banda americana Misfits e Rita Lee se apresentaram.


Figurinhas mais do que carimbadas da MPB (Erasmo Carlos, Rita Lee), do rock (RPM, Frejat), do samba (Paulinho da Viola) e até do horror punk americano (The Misfits) foram as mais festejadas da Virada Cultural, que aconteceu em São Paulo a partir das 18h de sábado (16) e terminou na noite deste domingo (17).
Paulinho da Viola encerra Virada Cultural na Praça da República (Foto: Flavio Moraes/G1) 
Paulinho da Viola encerra Virada Cultural na Praça da República

Neste ano, a Virada chegou à sua sétima edição repetindo a cifra de investimento de 2010: R$ 8 milhões para garantir as 1.300 apresentações, espalhadas por 204 espaços, nove palcos, 24 unidades da rede CEU e 12 do Sesc.


'Die die my darling' e 'Land of the dead' 

Dona do show de abertura do evento, a cantora paulistana Rita Lee encheu os arredores da Praça Júlio Prestes, no mesmo palco em que o Misfits fez um show tenso.
Houve seguidas invasões de palco, e num momento havia 17 pessoas penduradas na estrutura de ferro que dava suporte às caixas de som. Por duas vezes o vocalista Jerry Only interrompeu o show e pediu para que as pessoas descessem. Jovens passaram mal por causa do aperto e foram atendidos pela equipe médica.
Apesar dos problemas, a apresentação começou pontualmente às 2h deste domingo (17) e terminou às 3h. Sobre o palco, o trio tocou músicas como “Teenagers from mars”, “Die die my darling” e “Land of the dead”. Ouviu-se também “Thirsty and miserable”, cover da banda californiana Black Flag. Antes de sair do palco, Jerry arrebentou (propositalmente) todas as cordas de seu baixo.


Banda Beatles 4Ever se apresenta na Virada Cultural neste domingo (17) (Foto: Flavio Moraes/G1) 
Banda Beatles 4Ever fez maratona musical 

24 horas de Beatles
Durante as 24 horas da Virada, os músicos do grupo cover Beatles 4Ever tocaram 16 discos dos Beatles na íntegra e em ordem cronológica.
A banda abriu com “I saw ter standing there”, de “Please, please me” (1967). Próximo à maratona beatlemaníaca, aconteceu uma competição de luta livre, no Vale do Anhangabaú, na noite de sábado e durante a tarde do domingo.
"O grande problema é que a gente vai ficando sem voz para cantar. Até tive que proibir o John e o Paul de darem entrevistas. Se fosse só instrumental, poderíamos tocar até por mais tempo”, conta ao G1 o baterista Ricardo Felício, pouco antes do fim da maratona.
Entre as pistas de música eletrônica, a da Sé e do Largo São Francisco estavam entre as mais animadas. Essa última teve sets dos DJs Renato Ratier, que encerrou sua apresentação tocando um remix de “Don’t you want me”, do Human League, e Vitor Lima. A cabine dos DJs foi montada na sacada da faculdade de direito.


Show do RPM na estação Júlio Prestes (Foto: Flavio Moraes/G1) 
Show do RPM na estação Júlio Prestes

A banda jamaicana de ska Skatalies começou a tocar no sábado (16) às 23h no Palco São João, completamente lotado. Sobre o palco, sete músicos com uma trinca de metais à frente. No encerramento, tocaram “Phoenix city”.
Durante a apresentação os seguranças tiveram problemas para conter o público que se espremia junto à grade de proteção. A Força Tática da Polícia Militar foi chamada, e ficou de prontidão com escudos e espingardas.


Erasmo Carlos, o 'Tremendão' fez muito barulho com arranjos cheios de guitarras pesadas (Foto: Flavio Moraes/G1) 
'Tremendão' fez muito barulho com arranjos cheios de guitarras pesadas 

Domingo de 'festa anos 80'
Erasmo Carlos, último a se apresentar no Palco Arouche, começou a cantar por volta das 17h do domingo. O show ainda faz valer o nome de seu disco mais recente: “Rock n’ roll”, lançado em 2009, com muito barulho e arranjos cheios de guitarras pesadas.
Erasmo misturou faixas desse CD e sucessos dos velhos tempos como “Minha superstar” e “Negro gato”, composto em parceria com o amigo Roberto Carlos.
O domingo (17) também foi dia de celebração "oitentista" na Praça Júlio Prestes. A banda brasiliense Plebe Rude deu a largada para uma sequência de apresentações de nomes que se consagraram nos anos 80.
Depois do grupo, reforçado pelo vocalista Clemente (Inocentes), foi a vez de Frejat se apresentar. Com músicas do Barão Vermelho e de sua carreira solo, ele preparou terreno para os shows da Blitz e do RPM, que retornou aos palcos.


Paulo Ricardo no show do RPM na Virada Cultural (Foto: Flavio Moraes/G1) 
Paulo Ricardo no show do RPM na Virada Cultural

Paulo Ricardo mostrou fôlego em set dedicado a hits do grupo, como "Alvorada voraz", "Revoluções por minuto" e "Olhar 43", todas com os teclados de Luiz Schiavon em primeiro plano. O show do RPM terminou às 19h30.
Na Praça da República, Paulinho da Viola foi o responsável por encerrar a parte da Virada Cultural dedicada ao samba, neste domingo (17). O show do cantor começou às 18h30, com a música “Coração leviano”. O sambista estava escudado pela Orquestra de Cordas de Curitiba.

(estas informações foram retiradas do site do G1, as fotos são de Flavio Moraes para o G1)

thatha
Postar um comentário